Blog > Quarta-feira 16? Ou sexta-feira 13?!

Quarta-feira 16? Ou sexta-feira 13?!

Olá pessoal

Como foi essa semana?

Olhem, espero que estejam a ser bem mais agraciados pela sorte do que eu tenho sido ultimamente… Nada de demasiado grave, não se preocupem! Apenas o suficiente para alterar os meus planos e, ao mesmo tempo, torrar a paciência a um santo! Já vos conto melhor essa história daqui a pouco.

Ao contrário do que se viria a tornar, a minha semana começou bem calminha, com uma atuação tranquila no Mercado Saloio, na segunda-feira à noite.

De seguida, tive a minha segunda atuação no Epic Sana, na terça-feira. Decorreu com alguns problemas técnicos (parece que já estavam a adivinhar o dia que seguia), mas no fim tudo se resolveu, por isso o saldo acabou por ser positivo ?

Chegamos assim a meio da semana e ao mítico dia em que tudo (e mais um par de botas) aconteceu! O dia começou solarengo e eu lá me fiz à estrada, com tempo, a caminho do Algarve. Tinha uma atuação nessa noite no Purobeach, numa festa de empresa organizada pela XPTO Events. A empresa cliente faz investigação no tratamento e cura de doenças, através das células do cordão umbilical dos bebés e a verdade é que estavam lá presentes investigadores de todo o mundo! Contrataram Sax, percussão (Carlinhos), e também DJ (Dhanny) – o mesmo com quem atuei no Algarve nesta última PDA – para fazer uma festa de arromba.

O cenário estava perfeito, não fosse o meu belo carro trocar-me as voltas. A meio da viagem acendeu a luz de falta de pressão no pneu frontal direito. Ainda assim fui parando em quase todas as estações de serviço que encontrei até Vilamoura. Felizmente houve “Algarve à vista”, mas a alegria durou pouco… Após fazer o check-in no hotel onde ia ficar, o rapazinho que me atendeu era novato na sua função e eu demorei mais tempo do que o previsto. Então quando cheguei ao carro o pneu já estava a meio! ?‍♂️

Dirigi-me rapidamente a uma bomba perto para tentar encher o pneu, mas sem sucesso, o pneu já não aceitava ar. O relógio não parava de contar e eu tinha compromissos que exigiam que me despachasse, então deixei o carro parado na estação de abastecimento, chamei um UBER e lá fui até ao PuroBeach. Até fui recebido com fogo de artificio (não era para mim)!

Como um mal nunca vem só, também o jantar não correu muito bem, pois o restaurante onde costumávamos ir mudou de gerência – e agora deixa bastante a desejar!

Mas para contrariar tudo isto, a festa onde íamos tocar correu mesmo de ARROMBA! As minhas calças que o digam, pois durante a atuação descoseram-se para me dar o belo conforto de ar condicionado… ?

O resultado da festa ter corrido bem foi termos sido convidados a tocar num after-party, a convite da organizadora responsável pela festa. Ela disse-nos que adorou tanto a nossa performance, que queria muito que fossemos tocar nessa outra festa que, curiosamente, ia dar-se naquela sala que outrora foi o camarim do Rui Veloso na passagem de ano. Aquela sala da qual já guardava as melhores recordações, tinha virado uma sala de jogos com sistema de som e um ambiente fantástico! Fui muito bem recebido pelo público em geral, e isso ditou que lá estivesse a tocar (e a beber ? para esquecer) até tarde…

A esta noite incrível sucedeu-se um dia de dores de cabeça! Por causa do sucedido com o meu carro, levantei-me cedo para ir tentar resolver a situação. Fui a duas garagens de pneus em Vilamoura, mas ninguém me conseguiu fazer assistência no local, o que me fez chamar a única solução plausível que seria contactar a assistência em viagem. Passados 45 minutos tinha à minha frente um reboque, e o motorista do mesmo a dizer-me “você está tramado!”. Este alertou-me que devido à medida “especial” dos meus pneus existiam apenas duas opções:

a) ou eu corria as oficinas algarvias todas e tinha a sorte de encontrar um pneu compatível;

b) ou então o carro teria de ficar três (infindáveis) dias na gare de Albufeira até poder ser enviado para Lisboa!

Comecei logo a ver a minha vida a andar para trás: só teria o meu carro segunda-feira feira, e eu com atuações marcadas logo para o dia a seguir e com as “minhas pernas cortadas”.

Após falar com a seguradora e ter sido feito um diagnóstico ao pneu, viu-se que o meu carrinho tinha mesmo de lá ficar e ir sozinho “beber uns copos para Albufeira”… Enquanto isso desloquei-me à Europcar pelas 12h50 na expectativa de ainda estarem abertos…

mas ⬇

 

 

 

 

 

 

 

 

Consegui um carro de substituição só depois das três da tarde e lá vim eu (finalmente) para casa, mas desta vez num jipe simpático que me fez pagar o dobro nas portagens! ?

Quando cheguei ao Oeste ainda me senti mal ao jantar, mas penso que isso deve ter sido uma mistura explosiva de nervosismos, com indisposição alimentar, com inquietude generalizada… Estes carros novos são muito bons, mas ao falhar uma coisa tão simples como um pneu – lá ficamos sem carro durante uma semana (e deixa ver quanto mais)!!

Ainda nesta semana estive com a equipa a trabalhar no meu site, social media e design para traçar novas metas.

Para compensar todos estes nervos, sexta-feira atuei no jantar da REMAX. O grande Nelson Antunes organizou uma festa de entrega de prémios com o seu grupo de trabalho, cheia de boa disposição. E a ? no topo do bolo foi toda a audiência ter sido muito simpática e atenciosa comigo. Possivelmente, farei com eles um grande evento já em Fevereiro.

Acabei a semana em grande a tocar com o Tony Santos no Marcado Saloio, com Música a Preto e Branco.

 

Por agora é tudo, volto em breve! ?

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *